CRIOLO "AINDA HÁ TEMPO"... 11/06/2016 - Por Paulo Lima

Em 2006, Criolo lançou seu primeiro disco, Ainda Há Tempo, que até hoje é aclamado pelo seu público, sendo assim o rapper do Grajaú, extremo sul de São Paulo, resolveu relança-lo, a idéia inicial era fazer um show comemorativo para que a data (dez anos) não passasse batido. Mas, como os dados originais das músicas tinha sido perdido em estúdio, ele resolveu regravar algumas das faixas e lançar uma nova versão do disco com direção musical de Daniel Ganjaman, com algumas alterações nas letras e um time repleto de beatmakers.
 

 

Em um breve bate-papo, Criolo falou sobre homofobia, esperança, o crescimento do rap nacional e Tim Maia, confira a entrevista:

Você fez algumas mudanças em letras do novo “Ainda Há Tempo”. A mais notável é na faixa “Vasilhame“, onde você deixou de cantar: “Os traveco tão ali, ah! Alguém vai se iludir“. Mudando para “O universo tá aí, ah! Alguém vai se iludir“, ao notar que o termo utilizado era pejorativo e chateava algumas pessoas. O que mudou no Criolo nesses últimos dez anos?


CRIOLO: A gente vai aprendendo com a vida e tenho a felicidade de ter por perto pessoas que não desistiram de mim, pessoas que me deram um bom conselho, pessoas que se preocupam comigo. E a gente vai aprendendo com essas pessoas, com outras pessoas também, que tem outros sentimentos e outras ideias. Em relação a mudança das palavras, é que com tempo fui me ligando o quanto todos somos aglutinados por um cotidiano que não se questiona muito, o porquê de cada palavra, o porquê dela ter nascido e seu significado. Então tive a oportunidade de regravar algumas músicas e aproveitei para fazer este novo registro. Já há alguns anos eu estava cantando diferente essas músicas,  já por ter me ligado que era algo que não tinha ver com as coisas que eu acredito, que eu penso. Somos realmente aglutinados por tudo que está ao nosso redor. Então é isso, tive a oportunidade de mudar as palavras.
 
Após os discos "Nó na Orelha” e “Convoque Seu Buda” terem produção musical de Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral, a nova versão do “Ainda Há Tempo” contou com uma banca de beatmakers, de onde saiu essa idéia? O plano inicial seria lançar somente as oitos faixas?

CRIOLO: A ideia foi do Daniel, que resgatou o ambiente de 2001 quando comecei a ideia de construção da primeira versão do álbum, e que foi a de visitar vários amigos produtores e beatmakers pra ajudar com o  disco.  A ideia era de fazer apenas um show pra comemorar os 10 anos do Ainda Há Tempo, mas aí quando a gente viu vários amigos reunidos, o Alexandre Orion  fez a direção de arte, os pedidos pela apresentação aumentaram, acabou dando nisso: um número maior de shows e o registo fonográfico.   Mas a ideia inicial era apenas um show pra data não passar batida.
 
São tantas coisas obscuras acontecendo ao mesmo tempo no Brasil, politica, segurança, educação, economia, e mesmo assim o brasileiro continua lutando e perseverando, em meio a tudo isso você acredita que “Ainda Há Tempo”?

CRIOLO: 
Nosso povo é lindo e cheio de fé e esperança. Povo de luta, povo maravilhoso. Nosso povo, que não se distancia dos sonhos e que luta para que o mundo seja um lugar bem melhor pra se viver.



 

Nos últimos três anos o rap nacional vem muito mais forte que antigamente, você acredita que a organização e união da galera do hip hop fez o estilo crescer e se firmar?

CRIOLO: Desde criança eu tenho a felicidade de ter próximo de mim muitas pessoas que amam o Hip Hop. Pessoas que amam essa arte, então pra mim é uma crescente já há quase 40 anos, e é muito bom, porque coisas boas, as coisas positivas, quando elas se expandem é bom pra todo mundo.
 
Entre seu ultimo trabalho de inéditas “Convoque Seu Buda” e o relançamento de “Ainda Há Tempo” teve a parceria com Ivete Sangalo cantando músicas do mestre Tim Maia, ficou surpreso com o convite? Como foi tudo isso pra você?

CRIOLO: Foi um convite muito maravilhoso, poder cantar Tim Maia é uma honra muito grande, realmente uma surpresa pra mim. Nunca imaginei que fosse receber este convite .




AGRADECIMENTO: Ana Paula (Perfexx)
FOTOS: Divulgação